CÂMARA MUNICIPAL DE Ponte Serrada - SC

ATA Nº CM 024/2018

Aos treze dias do mês de Agôsto de dois mil e dezoito, às dezenove horas, nas dependências do Legislativo Municipal, reuniram-se os senhores vereadores para reunião Ordinária da Primeira Sessão Legislativa, da Décima Quinta Legislatura da Câmara Municipal de Vereadores, com a presença dos seguintes membros: Adenir Freitas, Edivan Antonio Panizzi, Evandro Pavan, Julio Cesar Páglia, Marcelo Tadeu Wrubel, Milena Aparecida da Silva, Olivo Cortellini, Rúbia Caroline Wrubel e Gilson Damaceno Presidente da Mesa, que cumprimentou a todos os presentes, e sob a proteção de Deus, declarou aberta a sessão, convidando o vereador Júlio para proferir a leitura de trecho da Bíblia Sagrada, prosseguindo com a leitura da Ata da reunião anterior, aprovada por unanimidade. Após fez-se a leitura do Expediente do Dia, sendo Parecer da Comissão de Legislação e Justiça, ao Veto Parcial do Projeto de Lei Complementar nº 005/2018 - QUE DISPÕE SOBRE A REDUÇÃO DA CARGA HORÁRIA DE SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL QUE POSSUA FILHO PORTADOR DE NECESSIDADES ESPECIAIS, NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE PONTE SERRADA, CONFORME ESPECIFICA, recebido nesta Casa Legislativa em data de 26 de Julho de 2018, que obedecendo o disposto no Art. 220 da Resolução nº 019/90, a Comissão, acata o VETO. Pedido de Informação nº CM 030/2018 apresentado pelos vereadores Adenir, Marcelo, Milena e Rúbia. Requerimento da Contadora desta casa senhora Rosana Uliana Rossi, solicitando a liberação de 03 ( três ) diárias para viagem a Bombinhas SC no período de 20 à 22 de Agosto, para participação do 14º CONGRESSO CATARINENSE DE SECRETÁRIOS DE FINANÇAS, CONTADORES PÚBLICOS E CONTROLADORES INTERNOS MUNICIPAIS, bem como a indenização de despesas com deslocamento, conforme Art. 4º da Resolução nº CM 060/2016. Requerimento do vereador Adenir Freitas, solicitando a liberação de 05 ( cinco ) diárias para viagem a Florianópolis no período de 14 à 18 de Agôsto, para participação no CONGRESSO PARA ESTUDOS E DEBATES DO LEGISLATIVO MUNICIPAL SOBRE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE PARLAMENTAR DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA., bem como a indenização de despesas com deslocamento, conforme Art. 4º da Resolução nº CM 060/2016, com veiculo Placas-MJU-9454. Convite do CONSEG para uma reunião a ser realizada nas dependências da Câmara Municipal, em 14 agosto, sobre sistema de videomonitoramento. Ofício de convocação para Assembléia Ordinária do PARNA no dia 24.08.2018. Recomendação do Procedimento Administrativo nº 09.2018.00006390-0, encaminhado pelo Ministério Público ao Poder Executivo e ao Poder Legislativo Municipal em data de 13 de Agosto de 2018.

Passando a Ordem do Dia, com a presença de todos os senhores vereadores, Obedecendo o Art. 220 do Regimento Interno , o Presidente colocou em discussão o Veto ao Art. 1º (caput) ao Projeto de Lei Complementar nº 005/2018. A vereadora Rúbia solicitou a suspensão da reunião para que sua bancada pudesse se reunir. Retomando, o Presidente colocou que tendo surgido dúvida por uma bancada a respeito do veto, e com a concordância da maioria dos senhores vereadores, para deliberação do plenário a retirada da pauta dos Vetos ao Projeto de Lei Complementar nº 005/2018, pelo prazo de uma sessão, uma vez que ainda está dentro do prazo de votação, sendo acatado pelos vereadores Adenir, Evandro, Marcelo, Milena, Julio, Olivo e Rúbia. Sendo que o vereador Edivan foi contrário a retirada da pauta. Nos termos do Art. 139 da Resolução nº CM 019/90, o Presidente colocou em Votação Pedido de Informação nº CM 030/2018, sendo aprovado por unanimidade. Escrito na Palavra Livre, o vereador Edivan, fez uso da palavra salientando mais uma vez a todas as pessoas, pedindo, para que a Câmara de Vereadores de uma vez por todas coloque em discussão o projeto que trata das gratificações, de algumas funções de nossos servidores públicos. Este Projeto não é específico para pessoa A, B, ou C, este projeto é sim especifico para o município. Para o desenvolvimento das atividades do município, para que o município possa continuar atendendo bem ao nosso cidadão. Este projeto para este vereador sempre tratou disso, não de pessoas, até porque pessoas não sabem quais poderão se encaixar, dentre estas atribuições. Mas trata sim de que o município possa amparado por lei, fazer o que fez até hoje, é algo corriqueiro que vem de décadas. Mas por uma iniciativa do Ministério Público, que impetrou com uma ADIM , foi julgada procedente, e o município precisa por ordem legal, se adequar, e é o que estão pedindo na Votação deste projeto desde o mês de maio deste ano. Naquela oportunidade alguns vereadores, ou até a própria câmara em si, entendeu para que fossem feitas algumas adequações, e mesmo não sendo a opinião de todos, o prefeito Tibe, mesmo tendo opinião contrária, ainda assim fez a retirada do projeto, se reuniu com o Sindicato, se reuniu com representantes dos servidores, e em consenso com todos encaminhou novamente o projeto para esta casa. Se puderam prestar atenção, semana passada, o projeto de novo causou polêmica, e vai causar sempre, porque o poder hoje está na mão de outras pessoas. E tem alguns que ainda não admitem isso passado quase dois anos da eleição. E vão continuar sempre fazendo a mesma coisa, tentando sempre atrapalhar a administração. Que pode ouvir e sempre é muito atento as reuniões, mas a situação na semana passada era de que não poderiam votar porque estão em período eleitoral. Que estão sim, mas o projeto é municipal, e a eleição se dá a nível estadual e federal. E se puderam prestar atenção na recomendação do Ministério Público que foi lida aqui, diz assim: Pelo entendimento de que a circunscrição do pleito nas eleições presidenciais e estaduais, não abrange os municípios. E ainda assim, naquela oportunidade foi este pretexto, na sessão de hoje vai ser outro pretexto e na próxima vai ser outro. E é claro a não vontade de votar e não é para prejudicar os vinte e quatro servidores, que sempre ganharam, é para prejudicar o município. Gostaria que começassem entender como é fácil mentir nos corredores. Que já ouviram aqui nos corredores das gratificações dos valores dos médicos, que são as mais contras possíveis, lá, mas aqui eles dizem que não. Porque eles não tem coragem de dizer o que dizem nos corredores e não dizem aqui.Esta é uma situação que tem que tomar vergonha na cara e votar NÃO, põe o projeto em discussão, quem é contra vota NÃO. Agora quanto tempo as pessoas vão ficar vindo na câmara de palhaços, quanto tempo. Que se sente constrangidos pelos funcionários. Que tenham uma postura e deixem os servidores voltar para casa cientes do que vão ganhar no final do mês. Colocaram também que o prefeito foi notificado em novembro do ano passado, mentira. O ciente ao Poder Executivo se deu no mês de fevereiro deste ano. Em maio mandaram o projeto, estão quase em setembro e não conseguiram votar. Que não vão conseguir delimitar todas as funções existentes, é humanamente impossível. Para este vereador que as vezes é castigado por ter opinião própria, estão vivendo em um estado, em que algumas pessoas, ainda não admitiram o resultado das urnas, e vão continuar sempre tentando atrapalhar. Gostaria que fosse para a rádio sua palavra amanhã, gostaria que fosse, pois é difícil o que fala aqui ir para a rádio. É quase que sempre podado em suas palavras. Citou um exemplo para que entendam a maneira de que aqui estão tratando. O primeiro projeto que esta câmara entrou em 2017, na primeira sessão, entraram com um projeto para criar dois cargos em comissão, vinte horas cada cargo, o salário de cada um era R$ 3.000,00, a função que agora se briga tanto para dizer o que tinha que fazer, era Assessoria para o Presidente desta casa, duas pessoas. Aí foi até o MP, que mandou uma recomendação, igual a que veio hoje e foi lida na íntegra, Quando o MP mandou a recomendação tratando daquele projeto, foi escondido, ninguém leu, a recomendação não apareceu. E começaram a solicitar com Pedido de Informação, pois queriam ter acesso ao que o MP recomendou. Porque era o inverso, não tratava do Executivo. Tratava de cargos que o Legislativo queria criar. Sem necessidade alguma. Citou isso, do porque a diferença de tratamento de uma coisa ou outra, porque o município precisa que sejam desempenhadas estas funções. Citou outro exemplo: que no dia 02 de outubro de 2017, entrou um projeto nesta casa, que tratava da concessão de um benefício para instalação da Coopercampos , saída para Passos Maia. No dia 03 foi votado. Vocês acham que era para a Coopercampos? Não. Era porque tinha pessoas que queriam vender aquele terreno e receber o dinheiro. Um grupo de pessoas. Tinham necessidade de receber o dinheiro da Coopercampos. Entrou no dia 02 e no dia 03 foi votado. Aí pula todos os prazos, não precisa parecer, não precisa comissão, não precisa ir falar com a promotora, aí não precisa nada. Porque algumas pessoas aqui, iam receber o dinheiro do terreno que a Coopercampos comprou. Quanta diferença de uma coisa para outra. O Presidente da Mesa, diante das barbaridades ditas diante deste microfone, primeiro em respeito aos funcionários públicos que estão aqui nesta noite, que o vereador como advogado deveria saber que existe uma publicação eletrônica dos processos eletrônicos, e esta publicação se deu em 22 de novembro, se realmente fosse em 22 de fevereiro, porque a pressa? Se realmente como disse o vereador que a cientificação do município foi em 22.02, contados os cento e oitenta dias, o município ainda tem prazo para estar pagando. Ele fala e nem coragem de ficar para ouvir a resposta, fica até perplexo. Escrito na palavra livre, o vereador Evandro, cumprimentou o funcionalismo presente e demais pessoas, e que concorda cem por cento com o que o vereador Edivan falou aqui, pois não disse nem uma mentira, que gosta de vir a tribuna para falar a verdade, e reiterou todas as palavras do vereador. É uma indignação e ele tem razão em não ouvir o que vem depois, pois a maioria das coisas vai ser mentira. A maioria é mentira. Porque desculpas ouviram aos monte, antes o texto não estava certo, se reuniu o sindicato, com vereadores representantes de bancadas, reuniram servidores e foi trocado o texto, foi se abrangido. A função gratificada, desde que a pessoa seja qualificada, ela pode ser exercida por qualquer funcionário público. Depois o prazo. A ciência o município teve em fevereiro, o prazo não passou, o prazo de votação do projeto sim. Termina segunda. Depois vem a história do período eleitoral, que a abrangência é estadual e federal, não tem nada a ver com o município, mas é mais uma desculpa. Então como alguns gostam de falar aqui no microfone de malandragem, também acha que é uma baita de uma malandragem por um grupo que torce contra o município. Bem falou o vereador Edivan, que o grupo torce contra o município. Tem gente que gosta de vir fazer demagogia aqui, mas lá nos corredores quando adentrou o projeto aqui, que ouviu e de mais de um vereador, que sirva o chapéu para quem falou, onde já se viu os médicos ganharem isso de gratificação. Há dez quinze anos podia, agora não pode. Que não é juiz para julgar, por isso diz, coloque em votação, não é obrigado a citar, tem muita gente que vai no fórum e não fala o nome. Os corredores são testemunhas. As pessoas, os funcionários sabem muito bem, quem não quer, não é uma pessoa nem duas, isso aí, é como o vereador Edivan falou, é só o resultado da política. O Presidente disse que tem respeito com os funcionários, então que coloque em votação. Há mais é período eleitoral, então se abstenha, mas tenha coragem. Aqui nesta tribuna tem bastante malandragem, demagogia, manipulação, mas o que falta mesmo é coragem. Que amanhã vai sair tudo atrapalhado a casa perde o valor, mas o presidente disse que é individual de cada um. Que tem muito valor, tanto na política como na vida pessoal. Tem muito crédito. Pediu que escutem no rádio amanhã se vai sair as palavras do Pavan e do Edivan. O vereador Adenir, cumprimentou a todos, e disse que respeito tem, com qualquer funcionário e qualquer ponteserradense. Que é uma falta de respeito entre os vereadores, dizer que falam em corredores, que tem opinião própria, o cara vem aqui, fala o que quer e sai. Arrogante, petulante, um cara doutor na área, não sabe se é. Tem que ter o mínimo de humildade, e ficar ouvindo o que os outros falam aqui, em respeito aos colegas. Que é vergonhoso, mas os vereadores Julio, Olivo e Evandro que mesmo não comungando da mesma idéia, falam, mas continuam ouvindo. São pessoas que tem diálogo. Com o vereador Edivan Panizzi, não tem diálago. Hoje tiveram um exemplo, chamaram para uma conversa, todos os demais mostraram bom senso, menos o vereador Edivan. Que esta casa não vai para frente, nada mais é do que o vereador Edivan. Que assumiu alguns meses na gestão passada como vereador, e pode presenciar o que ele fazia. Que o considera, mas a cada dia que passa, não vive de política, tem seu trabalho, está aqui porque pensa no bem de todos, tem seus objetivos, agora, dizer que os vereadores atrapalham a administração. Que o projeto é só vir completo, para não complicar ninguém futuramente. É só ver o que ocorre por fora, quantas pessoas processadas. Que em sua opinião pode por em votação, se achar que é correto, votará favorável, caso contrário seu voto é NÃO. Agora dizer que um dos nove falou, isso é chato, que ficam em corredores falando. Acha que muitas vezes o que se discute entre os nove vereadores, tem que ficar entre os nove. Muitas coisas não vem para a tribuna. Que está indignado, pela forma que o vereador agiu. Que pensa em uma Ponte Serrada melhor, disputou uma eleição, mas um cara deste, e saber que é o quarto mandato assim. E que é uma câmara tranqüila. Que devem aguardar o prazo da recomendação e votar. Que também falou sobre o projeto da Coopercampos que foi agilizado, o homem só tem na mente que quer fazer asfalto. O vereador Júlio, cumprimentou a todos os presentes, já que o assunto é sobre o Projeto das funções gratificadas, deixou sua opinião, respeita a opinião de todos seus colegas, acha que tem que ser de uma forma saudável, sempre alguém tem uma idéia diferente da outra, mas até para reforçar, que tem o despacho do Processo Eletrônico nº 2765, onde foi publicado em 26.02.2018, dando um prazo de seis meses para alteração desta lei. Que se não votarem logo este projeto, vão ter problemas, sabendo que as pessoas que recebem não é de hoje, recebem a décadas, e se elas recebem é porque merecem. Se trocaram várias gestões, elas continuam recebendo, então é porque merecem. Nada tem de política neste projeto. Entende que tem que ser responsável por seu voto, mas pensando um pouco diferente, que já é pago há décadas, que veio uma recomendação do MP para que seja alterado, porque estava sendo pago de uma forma errada, e não vê que as pessoas que votaram a lei na época, vão ser penalizados por isso. Que ainda tem prazo para fazer emendas neste projeto, se alguma vereadora achar que tem algo errado com o projeto, pode se feito alguma alteração neste projeto, e podem estar votando. Pediu aos vereadores que tem dúvida no projeto, que façam alguma emenda, e pediu por favor que votem este projeto para que a população de Ponte Serrada não seja prejudicada. A vereadora Rúbia, disse que gostaria de estar usando este espaço para estar elogiando as funcionárias da Secretaria Municipal de Educação, as quais tiveram uma reunião antes da sessão, tratando do Sistema Municipal de Ensino de nosso município, mas deixará para outra oportunidade. Na verdade disse que não o chama mais a atenção esta é a postura do vereador Edivan Panizzi. Que infelizmente teve o desprazer de conviver com atitudes desta natureza muito similares ao schow que o mesmo deu hoje, na administração passada, não a espanta, não a tira do sério, na verdade sair da sessão é um favor que o mesmo faz, continua dizendo que a cada dia fica mais enojada com as atitudes deste vereador nesta casa, ele é dono de uma arrogância, de uma soberba, ele distorce tudo, e hoje ficou mais preocupada ainda, e se pergunta se neste projeto não tem favorecimento político mesmo, não tinha parado para pensar. Que estava analisando juridicamente, tecnicamente, mas agora com a preocupação deste vereador, e a postura do mesmo aqui nesta casa lhe parece que tem algum favorecimento político, uma promessa de campanha talvez de se pagar. Jamais fazendo menção aos funcionários que estão presentes nesta casa, que são merecedores da gratificação que os mesmo já vinham recebendo e esperam que assim continuem. Não vê o porque que se está polemizando tanto, estão respeitando aqui uma recomendação do Ministério Público, a qual tem sim muitas disparidades neste projeto, então até diante da recomendação do jurídico aqui desta casa, que possam aguardar estes dez dias, para ver se este projeto vem de uma forma diferente para esta casa, individualizado, e se podem agilizar com mais cautela, sempre observando os princípios da Administração Pública que é o que devemos prezar aqui, e é isso que esta casa tem feito. Acha que sempre que há diálago, onde os Poderes Executivo e Legislativo se dispõe a sentar para acertar as coisas, não entende como pretendem atrapalhar nenhum ato do Executivo. Muito pelo contrário, em sua opinião atrapalho foi o vereador que saiu daqui nesta noite, aos gritos, fez isso na administração passada, isso viu muito bem, o que ele fez na época ao ex prefeito Duda. Atitudes desta natureza não tolera, já aprendeu a conviver com os chiliques que ele tem aqui, mas acredita que tem que ter segurança jurídica para votar e aprovar este projeto. Que parasita da administração pública é este vereador que está aqui a muitos anos, é preciso de renovação, a política precisa de cabeças novas com idéias novas, e assim se constrói um município cada vez melhor, um estado e um pais melhor. Pediu a compreensão dos servidores, para esperarem os dez dias, talvez o Executivo responda ainda antes, esperam que acate a recomendação do Ministério Público, e que elabore um pouco melhor o projeto, talvez o jurídico do município ainda não se ateve e ainda tem conflitos em muitos cargos, é isso que gostariam que fosse revisto, para que não tenha uma penalização futura dos vereadores que podem responder solidariamente, e até mesmo os funcionários podem sofrer, tendo que devolver esta verba, que poderiam receber sem que o projeto estivesse sendo aprovado sem segurança jurídica. O que querem é a legalidade que os princípios todos sejam observados. A vereadora Milena, cumprimentou a todas as pessoas presentes, e disse que se sente constrangida pelo ocorrido hoje aqui, pelas pessoas presentes que vieram a esta casa, com representantes do povo, e um cidadão, vereador a tantos anos, sai daqui gritando que aqui é um circo. Até pode ser, mas fala novamente, palhaço é ele, mau educado. Dizer que vereadores falavam nos corredores que eram contra as gratificações dos médicos? Pediu que site nomes. É fácil vir aqui e falar o que quer, site nomes e tenha provas em mãos, para a próxima sessão. Muito fácil vir aqui e se alterar porque tem alguém da família que vai ser beneficiado. Não estão falando nada além de documentos do ministério público. Podem responder sim, os servidores podem a vir ter que devolver o dinheiro. Vão ganhar sim, e para esta vereadora é uma irresponsabilidade do Executivo, porque tem a ação civil pública que está na Mesa do Presidente, que foi recebido no dia 22.11.2017 às 14.49 horas. Cento e oitenta dias para se regularizarem. E só em maio este projeto deu entrada nesta casa, e tinha muitas alterações para serem feitas. E novamente com a recomendação do Ministério Público, e também recomendação do jurídico desta casa, que diz; Diante da recomendação apresentada aconselha que a mesma seja acatada, bem como as devidas providências de maneira detalhadas das atribuições das funções gratificadas individualmente, apresentado também, o percentual de gratificação em relação ao salário base, além dos nomes dos ocupantes dos cargos efetivos mencionados na referida lei. É só fazer o projeto certo. Não é contra nenhum funcionário, mas que façam o projeto para não penalizar nem o Executivo, nem Legislativo e nem os funcionários. Disse que aqui foi usado o termo quem não tem coragem quem não tem coragem é vir aqui dizer que falam nos corredores e sair gritando, sempre tem a laranja podre, e infelizmente a laranja podre, contamina as outras. Não torce contra o município, espera que ande cada vez mais para frente, pois é aqui que reside e pretende ficar por muitos anos. Ao contrário do que estas mesmas pessoas que vem aqui e falam bonito faziam. Agradeceu o senhor prefeito por tê-la recebido hoje e conseguiram resolver problemas de empresas da área industrial. Foi muito atencioso, e ele não merece ter na bancada dele um vereador tão mau educado. Que não merecem os senhores advogados de nosso município ter junto um cidadão como o mesmo. Parabenizou a todos os pais pela passagem de seu dia, e também a todos os estudantes que no dia 11 comemora-se seu dia. Se colocou a disposição da comunidade e diante deste projeto que se cria tanta polêmica em cima, é favorável, mas que tenham o mínimo de capacidade de fazer o projeto bem feito e apresentar a esta casa, que com certeza será favorável. O Presidente da Mesa disse que encerrará a reunião até com um pouco de tristeza até pelo rumo que a mesma tomou esta noite, falou de coerência e veracidade, quanto ao andamento do projeto das gratificações, que não só esta casa, mas também o prefeito municipal recebeu no dia de hoje a recomendação para alterar o projeto, acatando ou não a recomendação do MP. Que já foi dito por unanimidade nesta tribuna, que existe uma ação civil pública no que diz respeito as gratificações, e se existe é porque não está certo, se a forma como estava sendo pago, estivesse correta, não existiria esta polêmica, não existiria um novo projeto, simplesmente se continuava. Muitas vezes alguns pagam por malandragem de outros. Que o MP trouxe uma recomendação nesta tarde, com o qual ele vê dez cargos se tentando criar gratificação, que são as mesmas atribuições do cargo de carreira. Fizeram um concurso para fazer tal serviços, e agora receberão gratificação para exercer os mesmos serviços. Foi por isso que lá no passado o MP entrou com uma ação civil pública, e novamente estão recomendando que se reformule esta lei. Muitas vezes aqui é dito que não tem serenidade, ou perde-se os prazos. Que desde que assumiu a presidência, nunca perdeu um prazo de qualquer projeto. Tem o prazo até a semana que vem. Que confiava até mais no seu profissionalismo advocatício, onde o mesmo falou que o prazo iniciou em fevereiro, mas existe um ciente eletrônico de todos os processos, e foi publicado no diário da justiça em 22 de novembro e o Executivo tem que ter pessoas capacitadas para estar acompanhando todas as decisões, não é só esta, existe vários processos tramitando na justiça, e a justiça não vai estar notificando o município ou cada cidadão, de qualquer movimentação que tenha no processo. Disse as pessoas que estão esperando a votação desta gratificação, que estão trabalhando com muita prudência, pois se no passado existiu uma ação civil pública, é porque alguma coisa estava errada. E novamente uma recomendação, é porque alguma coisa está errada. Não podem vir aqui a toque de caixa e votar da mesma forma que veio do Executivo. Que o projeto esteja também mau elaborado, ou que as funções que trazem para gratificação muito genérica, mas o projeto está mau elaborado. Acredita que vencido o prazo e o prefeito tenha corrigido o projeto de acordo com o Ministério Público, vão estar sim votando. Que na semana passada não disse que era uma decisão já formada, mas existia sim a dúvida se podia ou não votar em período eleitoral, este problema foi solucionado, acredita que poderão estar votando este projeto com emendas ou não, mas fica triste porque vê o vereador Edivan, como muito bem falou o vereador Adenir, quando falou da empresa Coopercampos, a qual passaram um projeto para ampliação da mesma, não sabe se o mesmo estava presente na premiação do Movimento Econômico do município, ficou em primeiro Lugar . Não tem conhecimento se esta empresa teve algum beneficio do município até hoje, pois quando era vice prefeito, na gestão passada, a Empresa comprou e pagou toda a área que está instalada. E novamente comprou e pagou toda a área para ampliação de seus negócios. Vê que o vereador que está tão preocupado com asfalto, se preocupa tanto com a Coopercampos que é uma empresa que vem e subsidia toda sua instalação, imagine o pensamento deste vereador com uma empresa que vem aqui e pede um auxilio de uma terraplanagem, pede um auxilio para se ter um terreno. Como foi falado aqui de uma laranja podre, imagine se o nosso prefeito tivesse este pensamento, ou os demais vereadores tivessem este pensamento, nosso município estaria muito pior. Vê com tristeza que hoje mais uma vez viu que este vereador trabalha para o seu umbigo, pois hoje suspenderam a sessão e em um momento de dúvida, sentaram os nove vereadores para tentar sanar esta dúvida, em uma questão jurídica, mas este vereador como podem presenciar, foi o único contrário e disse: você é o Presidente faz o que quer, decida. Poderia muito bem, vir aqui e decidir sozinho. Mas não, teve humildade e chamou todos os vereadores na sala para conversarmos, e é assim que trata. Como o mesmo disse que baixei o nível, não, não baixa porque não é do nível deste vereador, nunca será como ele. Quer tratar a coisa pública com respeito, o mesmo respeito que as pessoas votaram neste vereador quando foi candidato, com trabalho e confiança. Que concorda com o vereador Pavan, quando o mesmo fala que muitas vezes esta casa está perdendo o crédito, que ouvindo o discurso do vereador Edivan, e parte do discurso do vereador Evandro, ele tira o crédito aqui desta casa. Ouvir inverdades tão grandes, que falam nos corredores, que fulano não quer que ganhe gratificação, é palavra livre, se fala o que quer, mas acima de tudo tem que ter palavras e quando fala , sustentar. Dizendo Fulano não quer que pague gratificação. Beltrano está atrapalhando o projeto não quer que vote. Ciclano disse que é contra os médicos, os chefes ou qualquer que seja. É palavra livre, mas o cidadão tem que ter palavra, o microfone aceita tudo, mas os ouvidos da população ponteserradense que nos ouve, atentos, merecem mais respeito. Nada mais a ser tratado, e nenhum outro vereador escrito na Palavra Livre, o Presidente agradeceu a presença de todos e deu por encerrada a presente reunião na qual Eu Tânia Maria Frighetto, redigi a presente Ata lavrada nos termos do Art. 104 da Resolução nº CM 019/90 de 14.12.1990, que após lida e aprovada será assinada pela Mesa Diretora.

APROVADA EM 20.08.2018

PRESIDENTE VICE-PRESIDENTE

1º SECRETÁRIO 2º SECRETÁRIO

Publicado em: 22/08/2018
Acessos: 104
Publicado por: Tânia Maria
Facebook Twitter Google+ Addthis